04/05/16

O Multiverso

Pretensão é uma característica das mais marcantes do homem.  Um bovino pasta sem muita cerimônia. Abaixa a cabeça e vai ruminando lentamente. Fica horas envolvido naquela ação. Não gasta seu tempo alinhando filósofos e nem mantendo um diálogo interno sobre a vida após a morte ou se um dia o Grande Espírito reunirá todos os seres e vai prolatar sentenças dando a alguns a glória dos gramados eternos e iluminados ou os fétidos campos de lama e esgoto. Antes que os defensores dos animais joguem pedras e maldições, explico: o exemplo nem é meu. Acho que li isto em Sêneca ou em Erasmo, no seu Elogio da Loucura. Não sei precisar ao certo, mas que li ago assim juro que li.
Mas, como ia dizendo, pretensão é coisa que não falta no mercado. Um rapaz negro fez um vídeo e postou no You Tube. Um dia, vestiu uma roupa bacana, cheia de marcas e patentes, desconfortável, mas reconhecidamente ajeitada. Saiu pela cidade e transitou pelos melhores locais sem qualquer restrição. Outro dia, abandonou a gravatinha e descolou uma calça larga, um moletom, jogou uma touca na cabeça e foi para os mesmos lugares onde estivera antes. O garçom de um restaurante onde ontem ele havia sido bem tratado fez que não o viu. E assim foi o dia todo.
Ao ver o tal vídeo lembrei-me de um filósofo, Mário Sergio Cortela, um dos  campeões de compartilhamentos nas redes sociais.  Dizia ele que somos apenas um em sete bilhões e setecentos milhões de seres, vivendo em uma das duzentas bilhões de galáxias existentes. E não para por aí: cada galáxia tem cerca de cem bilhões de estrelas (ou sóis). Cada uma destas estrelas bem que pode formar um sistema parecido com o nosso, com planetas e satélites. Ou seja, é muito possível que sejamos apenas uma espécie de vida possível no universo.
Aliás, universo já é coisa do passado. A teoria mais aceita nos dias de hoje é de que o universo não é único. Hoje se entende como mais provável a existência de um multiverso ou seja, inúmeras dimensões existindo ao mesmo tempo de forma oculta.   São teorias complexas que derivam para o lado da física, da física quântica, da matemática e do pensamento místico. Seria muita pretensão lançar minha colher de pau  e tentar desencaroçar tamanha polenta. 
A pressa é inimiga da perfeição diziam os antigos. Nos dias de hoje, porém, é íntima amiga de toda uma geração, seca por uma resposta imediata, urgente e indispensável. Se o universo não dá respostas imediatamente, o multiverso talvez demore um pouco mais ainda. No fundo no fundo mesmo, acredito que as respostas estão todas aí. Foram postadas sutilmente em alguma forma de livro que está aberto aos olhos de todos. Porém, a sutileza não se permite ler com pressa, 
Alguns dos corajosos leitores que me acompanham por aqui devem estar pensando que é muita pretensão abordar um tema assim tão cascudo, ainda mais quando a Dilma está na lona, o governo esfacelado, um velho novo governo se prepara para assaltar os gabinetes, o Congresso dos fanfarrões está em festa e a nação anestesiada com tanta informação, que nem sabe mais onde estão os mocinhos e os bandidos, pois todos juram inocência e fazem poses de honestos no telejornal da tevê. 
Chego mesmo a crer que deus perdeu a paciência definitivamente. E agora deve estar cuidando de outros versos em alguma destas dimensões existentes, distantes dos nossos olhos e onde nossos sentidos não atinam.



Nenhum comentário:

Postar um comentário