10/03/2018

A Boa Sorte


Boa dose de sorte acompanha os afortunados. Carência de sorte assiste os desafortunados. Há boa sorte e má sorte. Ela bafeja alguns poucos e parece ignorar a grande maioria dos sujeitos.
A sorte é um desses seres pouco compreendidos. Há dúvidas reais se realmente existe. Para alguns é uma criação da sabedoria popular, um  mito que vem se perpetuando para explicar de um modo muito pouco preciso os caminhos vitoriosos de alguns e os  tropeços de outros.
Cientificamente não há explicações plausíveis para a sua existência. Nos últimos tempos, porém, com a difusão do conceito quântico de que o observador pode alterar a reação das partículas ínfimas, não se duvida tanto de que existam princípios ainda não provados que favorecem a ocorrência deste ou daquele fenômeno desconhecido.  Assim, a inexistência de uma comprovação científica não é taxativa quanto à existência ou não de alguma coisa neste vasto mundo do desconhecimento.
O certo é que a sorte faz parte do cotidiano das pessoas. O filho se inscreve para o concurso público. A concorrência é grande. Milhares de inscritos por vaga. Mesmo que não esteja suficientemente preparado, os familiares não se esquecem de desejar boa sorte no dia da prova. O atacante faz tudo certo. Enquadrou o corpo, despachou o goleiro, bateu na bola com a força necessária, mas, ela chocou-se com a trave saindo lentamente para fora. O narrador do jogo, sujeito de raciocínio rápido, não se lembra de outra justificativa. Para ele, faltou sorte. 
Para a neurolinguística, o que se fala contamina ou aduba o caminho do indivíduo. Assim, quem só fala em azar desencadeia uma série de comportamentos que o levarão ao destino que deseja. Se o desejo é o sucesso, a sorte, as expressões mais condizentes não passam pela negação da sorte e do sucesso. Azar e fracasso, usados com frequência, direcionam o caminho que virá.
Para alguns, não existe sorte sem luta, determinação, vontade e fé. A sorte seria um ingrediente a mais. Nunca a receita completa. Nem a explicação única para justificar um resultado positivo. A sorte acompanha os bons, os mais preparados, dizem.
No imaginário popular, a sorte é um ente ativo, sempre presente aqui e ali, determinando fatos, construindo destinos, atuando permanentemente na vida das pessoas. Por traz da sorte existem forças mágicas que administram as doses para estes ou aqueles sujeitos. Como neste mundo as normas são desconhecidas, o sortudo torna-se um privilegiado. Como se sabe, estes seres mágicos não são tão mão aberta assim. Gastam suas poções com certa parcimônia. Nos últimos tempos, parece que escolhem os sortudos após delicada e criteriosa análise. Por via das dúvidas, sempre é bom repetir o mantra diariamente “que eu tenha boa sorte”. Vai que ouçam! 

Ainda sobre a sorte:


Nenhum comentário:

Postar um comentário