12/09/16

Fatos e opiniões

Cada ação, cada acontecimento é um fato. A vitória da seleção na Olimpíada é um fato. A derrota do time no Brasileirão, outro fato. Um assassinato em Porto Alegre: triste, lamentável e quase corriqueiro fato. São fatos. São coisas objetivas. Boas ou não. São comprováveis por documentos, números, gráficos, imagens e registros.
O que se ouve sobre tudo o que cerca cada fato são opiniões. É a percepção das pessoas sobre as razões, as circunstâncias, as motivações e uma série de outros institutos subjetivos sobre o fato, levando em conta o juízo de valor que cada um imprime. Então, opinião não é fato. É a versão concebida por alguém de um fato. O fato é imutável, a opinião pode ser modificada ao longo do tempo.
 As redes sociais não apresentam fatos. Quase 100% do que  se publica nos meios virtuais são opiniões. As redes têm, neste sentido, se tornado o reino do achômetro. O sujeito mal e porcamente consegue acolherar meia dúzia de palavras e está autorizado a debater sobre tudo: economia, política local, estadual, nacional e até internacional, justiça, futebol, religiosidade, medicina, física quântica, sexo dos anjos e coisas mais amenas.
 A opinião carrega em si uma série de atributos identificados ao próprio emissor. Assim, a opinião de um religioso dogmático, radical e pouco tolerante certamente será diferente de um outro sujeito que cultue um sentimento religioso mais libertário e compreensivo. Isto ocorre porque os indivíduos interpretam os fatos pelas experiências que carregam na vida, levando em conta seus valores, limitações intelectuais, vínculos afetivos e ideológicos.
Nos dias de hoje, a salada de fruta está na moda. Ganha-se a Olimpíada e o indivíduo descarrega o canhão contra o Neymar porque o Galvão fica o jogo todo babando. Não sei se ele não gostou da medalha, se o problema é o Neymar que joga muito e ganha muito ou se a irritação é com o narrador. O time perde o jogo e ninguém mais presta. Nem o astro do time que no jogo anterior matou a pau dando com seus pés e seu talento uma vitória improvável. Alguém comete um lamentável crime e a culpa é dos direitos humanos, deste governo ou dos que antecederam. Ou seja, jogam-se fatos e opiniões no liquidificador e o que sair dali é a verdade a ser difundida  no perfil do Facebook.
Fatos são fatos. Opinião cada uma tem a sua. É simples assim. Sem tirar nem por. Você, caro leitor, pode até não concordar com o que foi dito por aqui. Mas, aí será a sua opinião!
                            


Nenhum comentário:

Postar um comentário