29/09/11

As ilusões de ótica

Jogos de futebol são ilusões de ótica*
O escritor uruguaio Eduardo Galeano é dos poucos intelectuais que gasta tempo com o futebol. Lembra os grandes jogos, as jogadas de mestre, os timaços de então, a paixão do torcedor. Destaca, no entanto, que o jogo hoje está despido de beleza.
Tanto quanto Eduardo Galeano, quis ser jogador de futebol. Como meu sonho era inalcançável, troquei os pés pelas mãos, tornando-me cronista esportivo. Tarefa que se revelou mais fácil e também prazerosa. Hoje, afastado da crônica, instalado no sofá da minha sala, vejo jogos que não mais empolgam. Espetáculos que ficam devendo muito no quesito arte.
O jogo que vimos hoje é um arremedo do que se jogava. Os times são divisões militares que se postam maquinalmente como se marchassem numa parada do Dia da Pátria. Falta leveza, graça, malandragem e improvisação.  Este espetáculo que vimos aí nas telas da tevê é um mal acabado rascunho, vendido como se obra-prima fosse.
No passado os pais sofriam quando os filhos revelavam a vontade de seguir carreira nos campos de futebol. Isso era opção para pobre. Hoje os pais o que mais querem é ter um filho com talento nos pés. Colocam na escolinha, insistem de todas as formas. Porém, o talento parece que sumiu. Raramente aparece alguém que verdadeiramente encanta.
E nem precisa muito. Bastam alguns gols aqui, um destaque na destruição de jogadas ali ou mesmo um biotipo avantajado. E assim vamos nós. Os jogos de futebol, com exceções contadas nos dedos, são de uma miséria absurda, apesar do apelo da mídia, dos recursos injetados e da vontade dos torcedores. Não é raro as câmeras flagrarem no meio da imensa torcida gente bocejando ou mesmo tirando uma soneca. Às vezes os próprios narradores e comentaristas, que não dominam a arte de representar, deixam transparecer o tédio da peleia em seus rostos cansados.
Os jogos de futebol são ilusões de ótica. Juntam milhões em patrocínios, em salários, em marketing, em estrutura, porém, do ponto de vista do espetáculo são jograis estudantis que carecem de ensaio, de direção e de beleza.  Ao que parece, a beleza do futebol, está reservada aos joguinhos despretensiosos, às peladas dos guris e dos marmanjos que saem da firma com fome de bola.

* Arte sobre foto de Vadinho

Ainda sobre Ilusão de Ótica, acesse o link: Ilusão de ótica

Nenhum comentário:

Postar um comentário