14/11/15

O treino e o jogo

Quem vê o atleta de alto rendimento correndo com esforço, superando seu limite e, finalmente, vibrando intensamente com a medalha no peito, não escapa à tentação de desejar a mesma glória. O hino do país tocando, a bandeira no alto, o nome e a marca no painel eletrônico. Câmeras e mais câmeras varrendo o corpo suado e o sorriso estampado no rosto. A camiseta e o calção colados. A torcida em festa. Entre os presentes misto de admiração e inveja. Sentimento mais do que comum. E aceitável.
A marca vencida e a barreira superada se fazem passado muito rapidamente. Vencer outras marcas, superar outras barreiras tornam-se os objetivos seguintes.
Longe dos holofotes, na entressafra, no entanto, a preparação é dura. Alimentação especial. Nada de supérfluos. Controle absoluto dos movimentos. Dores no corpo. Incertezas na alma. Treino, repetição, pequenas conquistas. E mais dores. Tudo por alguns momentos de glória.
E assim ocorre em todos os esportes. Não há medalhas nem troféus sem dedicação. Quem vê estes atletas, estas estrelas do futebol, meninos ainda, mas com contas bancárias cheias de números é tentado a acreditar que ali há sorte em excesso. E, talvez, só sorte. Ganham-se milhões para chutar uma bola. Verdadeira bobagem.
Porém, como atletas de alto rendimento, músculos, tendões, articulações, e ligamentos são levados a esforços extremos. E os esforços nem sempre resultam em gols, em defesas e em vitórias. Muitas vezes, depois de todo o esforço colhe-se rotunda derrota. E a ira do torcedor e a crítica massacrante da mídia são meras consequências. Todo o empenho no treino e no jogo nem sempre resultam nos resultados desejados.
No final de uma carreira gloriosa ou não, sobram nos corpos as dores das sessões de treinamentos não vistos pelos torcedores. O glamour da vitória vai embora. As dores não.  Quem venceu sabe que o gosto fica na boca e no coração. Sabe, no entanto, que a derrota visita mais dia menos dia visita também os fortes.
Na vida é como no esporte: treino é treino e jogo é jogo.

                          

Nenhum comentário:

Postar um comentário