01/03/11

Scliar, o Carnaval e as mulheres

Scliar (arte sobre foto)

Moacyr Scliar é imortal. Não só pela cadeira na Academia Brasileira de Letras, que ocupava desde 2003, mas sim pela produção de 70 obras entre contos, novelas, ensaios e romances. São histórias vivenciadas por cada um dos seus milhares de leitores espalhados por todo o mundo. Os anseios, as lutas, os problemas dos seus personagens são as mesmas lutas, os mesmos anseios e os mesmos problemas dos homens e mulheres comuns que se identificam com suas obras.
Scliar bem que poderia ser pedante. Bem que poderia posar de estrela. Teria todo o direito de lançar em suas muitas colunas semanais na Zero Hora expressões difíceis, palavras rebuscadas. Porém, preferia sempre atingir o maior número de pessoas. Nestes tempos de culto à celebridade, onde muitos representam personagens, Scliar interpretava a si mesmo.  É o que dizem seus amigos mais próximos. É o que diz sua obra.
 
Por aqui, o imortal Scliar esteve várias vezes. Recordo bem de sua vinda à FACOS, nos anos 80. Diante dos acadêmicos de Letras, o já consagrado escritor, falava serenamente, sem floreios, contava suas histórias como um pai a um filho. Mansamente conquistou um espaço em nossos corações. Ficam as obras que merecem ser relidas.

Carnaval 
O Carnaval é daquelas festas que não sabe bem a origem. Não foi aqui no Brasil, como alguns acham. Ela é mais velha. É anterior a Cristo. Uns juram que nasceu do costume antigo de reverenciar as colheitas agrícolas, alguns séculos antes da Era Cristã. Ao redor do fogo, homens e mulheres vestiam máscaras e cantavam louvando a bela safra. Outros dizem que romanos antigos fizeram a festa crescer, regada a bebida e sexo.
Há os que dizem que nada disso é verdade. Bem, mas isso não vem ao caso. Certo é que o Carnaval existe em todo o mundo. Por aqui se transformou em evento oficial, em atração turística. Os blocos dos sujos, os cordões, os ranchos foram se unindo e formando as escolas de samba. Paradoxalmente, a festa cresceu, mas deixou de ser popular. As escolas são profissionais, com orçamentos astronômicos. Coisa de profissional.

Mulheres
Já na outra semana será o Dia Internacional das Mulheres. Dia 08 de março marca a luta feminina pelos direitos à cidadania. O clima tem sido propício ao avanço feminino. Porém, em muitos lugares do mundo, como entre os muçulmanos, por exemplo, a mulher vive submetida a rígidas normas que privilegiam a vontade masculina. Sem dúvida, algum dia isto mudará. No entanto, até lá muitas vidas serão ceifadas. Há, com certeza, muita luta pela frente.

Para saber mais acesse os links abaixo:



Nenhum comentário:

Postar um comentário